Nós somos o espelho deles

Começo por vos fazer uma pergunta, o que veem ao espelho? Ok, vou explicar melhor, este é um exercício simples que podem fazer quando tiverem um tempinho só vosso, olhem-se ao espelho e escrevam ou apenas reflitam sobre aquilo que estão a ver, façam uma autoanálise daquilo que são como mães, pais, esposas, maridos, amiga(o)s, filha(o)s.

Isto tudo para chegarmos ao tema de hoje “Nós somos o espelho deles”, todos nós o sabemos, mas às vezes esquecemo-nos deste pequeno, mas GRANDE pormenor. Educar é ser um espelho para os nossos filhos, a base somos nós, pais, e começa desde o nascimento. Arriscaria mesmo a dizer que os nossos filhos são aquilo que nós queremos que eles sejam!

Passo a explicar.

No dia-a-dia, eles contactam com diferentes tipos de pessoas, não vivem numa redoma de vidro, longe de tudo e de todos. Vão à escola, ao infantário, estão com os avós, os tios, os amigos, os vizinhos que lhes vão transmitindo saberes, experiências, conhecimentos, valores, outras visões, muitas vezes, diferentes daquilo que lhes é transmitido em casa. Cabe aos pais a tarefa de moldar, ajustar e filtrar aquilo que eles aprendem, tendo em conta os valores e a forma de estar de cada família.

Através da minha formação, do meu trabalho com crianças e famílias sempre o constatei, no entanto, como mãe este facto é real. Vejamos.

A fase da imitação já começou há algum tempo, começamos a perceber que tudo o que nós fazemos, ela também o faz, e quando digo tudo, pode ser o bom e o mau. Passando a exemplos, se lavamos os dentes, ela também quer lavar, se limpamos a mesa, ela também quer limpar, se discutimos, ela também discute, se damos miminhos aos animais, ela também dá, se gritamos, ela também grita, se falamos calmamente, ela também o faz, se subimos para uma cadeira, ela também quer subir.
Às vezes sinto que é assustador, mas ao mesmo tempo fascinante, ter nas nossas mãos o poder de transformar a vida de uma criança, de um futuro adulto.

E é a esse ponto que temos de estar atentos porque quando pensamos na educação dos nossos filhos, temos de amplificar a mente e pensar que adultos serão os nossos filhos?  Nós temos esse comando. Se na base [família] existir carinho, atenção, abraços, consistência, diálogo, acompanhamento, partilha, união, eles terão, certamente, uma estrutura forte e indestrutível. Se pelo contrário, existir violência, ausência, gritos, afastamento, agressividade, desinteresse, a estrutura será frágil, quebradiça com possibilidade de ruir.

Temos o mundo deles nas nossas mãos e eles serão aquilo que nós quisermos ou deixarmos que eles sejam! A responsabilidade é grande, ENORME e bem real.

Ângela Rodrigues

Comentários

Comentários