Há mimo a mais

O mimo é uma preocupação para a sociedade dos nossos dias, ouço com muita frequência a seguinte expressão “tem mimo a mais”, ou “se não lhe dessem tanto mimo…”. Nunca tinha refletido sobre este aspeto, antes de ser mãe e confesso que também já referi as expressões mencionadas acima.

Afinal o que é isto de mimo? Vamos à sua procura!

Falamos tantas vezes sobre ele, é atribuído generalizadamente a tantas ações e em tantas expressões. Será o mimo apenas abraços, beijinhos, mãos dadas, colinho, festinhas, atenção, diálogos, passeios, diversão. Se isto for o mimo [ironia] é algo tão bom, tão agradável, o melhor da minha vida.

Diz-se por aí que há mimo a mais, avisem-me p.f. quem o tem a mais que eu vou buscar. [risos]

Gosto de mimo, sou mimadinha, dou muito mimo e recebo-o a dobrar. E quem não gosta? O mimo é o amor, a atenção e a valorização que damos aos outros e que os outros nos dão a nós.
Quando dizemos a famosa expressão “tem mimo a mais” estamos a misturar as águas porque simplesmente não há mimo a mais, ponto. Não podemos generalizar algo tão precioso e que tanta falta faz às crianças e adultos dos nossos dias.
Devo ter uma opinião adversa à maioria das pessoas, penso exatamente o contrário, há mimo a menos! 
Quando observo uma criança que não olha nos olhos, foge de abraços e de toque, responde, agride, maltrata, afasta-se. E que trás como segunda pele o tablet ou a psp, fixando os seus olhos, observadores do mundo e de afetos, apenas numa máquina que tem o dom de silenciar a boca, os ouvidos e a mente, essa criança não tem mimo a mais, tem um vazio de abraços, conversas, atenção, regras, autonomia, saltos e corridas, fazer de conta, ouvir e falar.

Resumindo há um vazio de VIVER como criança!

É urgente dar mimo às nossas crianças, senão o que será de nós pais e dos futuros adultos deste mundo. O mimo faz bem e recomenda-se!

Ângela Rodrigues

Comentários

Comentários